Dicas para as crianças brincarem sozinhas

Cucuuuuuuuuuu!

Cá estou eu de volta, após algum tempo ausente! E cá estamos nós em mais um confinamento… Espero portanto que este artigo @ encontre bem, essencialmente com saúde!

E se há uns meses deixei sugestões de brincadeiras entre pais e filhos, agora deixo sugestões para as crianças brincarem sozinhas!

Portanto, este artigo, para não variar, estava há meses na gaveta, poderei mesmo dizer desde o primeiro confinamento. Mas o tempo não era muito, e foi-se arrastando, por isso sai agora do forno. Mas é um artigo que vem no timing certo!

Para além disso, este artigo vem num molde diferente, mas igualmente interessante! Pois realizei uma pequena entrevista com a Dra. Ana Carmo, Terapeuta Ocupacional, cujo meu menino chama carinhosamente de Dra. Brinquedos 😀

Então, vamos a isso??

 

Ola doutora pode apresentar-se um pouco sff 😀

Bom dia

Antes de mais, obrigada pelo convite e pela oportunidade de falar sobre algo que acho tão importante

Começando por mim, o meu nome é Ana Luís Carmo e sou terapeuta ocupacional, mestre em Terapia Ocupacional especializada em Integração Sensorial. 

Trabalho com crianças desde 2005 e continua a ser uma paixão descobrir como chegar a cada uma e como ajudar a família a descobrir novos caminhos de olhar para todo o potencial presente em cada criança. 

Ultimamente, até me chamam Dra. Brinquedos :))

Ahah pois é! Sinal que as “consultas são muito divertidas!!! Bom, no início do confinamento publiquei um artigo com 16 ideias de atividades que os pais poderiam realizar com os filhos. Hoje pretendo dicas para as crianças brincarem sozinhas! Acha que faz sentido? Ou serei só uma mãe com falta de ideias após 5 semanas de isolamento? 😀 [Pois é, quando realizei a entrevista estávamos no primeiro confinamento e já contávamos com 5 semanas de isolamento]

No início desta fase que todos atravessamos, foi importante equipar as famílias de como organizar o seu dia a dia e de como poderiam criar atividades que fossem ao encontro das necessidades da criança e, da própria família.

Em qualquer etapa, faz muito sentido as crianças terem oportunidades para brincarem sozinhas, para criarem sozinhas e terem autonomia para isso. Após 5 semanas de isolamento, começamos também nós a necessitar de tempo e espaço para os nossos papéis ocupacionais (aquilo que nos identifica como pessoas e seres, para além de mães/pais), daí sentir, se calhar, maior necessidade desse envolvimento no brincar por parte dos seus filhos.

 

Então diga-me, qual a importância de as crianças serem TAMBÉM incentivadas a brincarem sozinhas? E não somente brincarem acompanhadas pelos pais.

Brincar é um direito universal da criança e a sua principal ocupação! 

Segundo a IPA (International Play Association) o brincar é essencial para a saúde física e mental da criança, é parte da educação, é essencial na vida familiar e comunitária, e, por isso, devem ser criadas oportunidade para a criança brincar. 

Em relação ao brincarem sozinhas, surge naturalmente com o desenvolvimento à medida em que conseguem manter a atenção por maiores períodos de tempo e conseguem criar novas ideias/novas sequências de como brincar (juntando diferentes partes de materiais, misturando materiais diferentes…). 

Brincar com os pais é extremamente rico também, pois estão a partilhar o prazer, a alegria e a diversão com as pessoas que são mais significativas. E o brincar está diretamente ligado com o bem estar. 🙂 Por vezes, podemos cair na tentação de orientar demasiado a brincadeira das crianças, ou não lhe darmos possibilidades de resolverem os “problemas” que surgem durante o brincar, sozinhas (testando, experimentando, modificando a posição do corpo, do objeto, da relação no espaço) e assim estamos a limitar todo o potencial que temos o privilégio de assistir!

 

E tem alguma sugestão de estratégias para os pais de crianças que têm maior dificuldade em brincarem sozinhas? Pergunto pois vejo a diferença entre os meus dois, um tem imaginação de sobra, o outro nem ousa brincar sozinho.

A criança começa inicialmente por brincar com o corpo, muito iniciadas em fases precoces do desenvolvimento pelos cuidadores (festinhas, soprar, “cu-cu”, dar turrinhas) e depois, à medida que as competências motoras se vão desenvolvendo o trepar, empurrar, subir, descer, passar por cima, por baixo. Depois, envolve-se também o brincar com objeto, como relacionar esta parte do corpo com este objeto específico, como o ponho a funcionar, para que serve, que sons faz, que faço se o colocar perto ou dentro de outro…

O que vejo no meu dia-a-dia como mãe e terapeuta ocupacional é que o brincar com o corpo está menos valorizado, ou é passado para um segundo plano, e passamos logo a querer que a criança desenvolva as competências cognitivas (cores, números, letras, formas…) ou mesmo, com o uso das tecnologias, o corpo está parado e passa a não ter uso/função no brincar.

Voltando à sua questão, se as competências deste “corpo” não estão aprimoradas, dificilmente passamos a brincadeiras mais complexas como o brincar simbólico que nos permite o tal “brincar sozinhos” por maiores períodos de tempo.

 

Ainda neste seguimento, existem algumas estratégias específicas consoante a idade da criança? A partir de que idade deveremos “trabalhar” o facto de brincarem sozinhas?

Existem claro estratégias específicas para a fase de desenvolvimento em que a criança se encontra (que algumas vezes, devido a imaturidade, não corresponde à sua faixa etária). 

Se pensarmos neste encadeamento de ideias  —- brincar com o corpo — brincar com objetos — brincar simbólico com tudo o que inclui cada etapa, podemos pensar em estratégias específicas para cada uma. Mas isso daria outro artigo maior :)))

 E como disse acima, o brincar é um direito universal e é inato! Ou seja, é algo que surge, quando tudo ocorre dentro do esperado, sem haver necessidade de ser “trabalhado”. Quando observamos uma criança brincar (no seu sentido pleno) têm que estar presentes algumas características: é essencial a motivação intrínseca, onde a criança é livre para se envolver e por controlar as suas iniciativas; o controlo interno (a criança está no controlo das suas ações e decide quando fazer mudanças no processo); a liberdade para suspender a realidade (palhaçadas, travessuras) e o enquadramento do brincar (surge fora da vida real, e a criança dá pistas de quando está ou não a brincar). Toda a ação da criança está dirigida ao processo de brincar e não no produto final. 

 

E para os pais de filhos com necessidades especiais, até que ponto poderá ser válido brincarem sozinhas? Acredito que dependa da patologia associada. Pode falar pelo menos um pouquinho nisso? Pois acredito que seja assunto que dá “pano para mangas” e que o ideal será haver o acompanhamento/aconselhamento das terapeutas incluídas nas rotinas das crianças.

Sim, está relacionado com cada patologia, mas claro que é possível o brincar sozinho. Muitas vezes, com alterações neuromotoras o brincar fica limitado porque os objetos e o meio não estão adaptados às competências presentes na criança. No entanto, o Brincar continua a ser uma necessidade básica e a principal ocupação de uma criança. 

É um processo de equipa (família, escola e equipa terapêutica da criança), ou seja, são definidas as principais preocupações, necessidades, motivações da família e da criança e são trabalhadas em conjunto, para atingirmos as mesmas. 

 

Finalizando, para quem gostaria de obter mais informações/apoio sobre estas estratégias e outras mais, como poderá entrar em contacto consigo? 😀

Eu trabalho nos Miúdos & etc, em Faro. É um centro de estimulação do desenvolvimento e aprendizagem, onde acompanhamos crianças e as suas famílias, quando há algo no seu desenvolvimento que esteja a ter impacto no seu envolvimento nas atividades do dia a dia: alimentação, sono, educação, brincar, lazer. 

O meu email é analu.carmo@gmail.com e o meu contacto é 963537395.

Obrigada mais uma vez pelo interesse e curiosidade!

Beijinhos

Dra. Brinquedos 🙂

 

Um Obrigada especial à Dra. Ana que foi uma querida e sempre super disponível!

E, em jeito de conclusão, podemos reter que:

–  É tão importante as crianças brincarem acompanhadas (pois aqui a criança partilha o prazer, a alegria e a diversão com as pessoas que mais ama), como brincarem sozinhas, que demonstra maior maturidade em termos de atenção, conhecimento do seu próprio corpo e as suas competências, por exemplo.

– É importante valorizar o brincar com o corpo, como por exemplo “empurrar, subir, descer, passar por cima, por baixo; o brincar com objeto, como relacionar esta parte do corpo com este objeto específico, como o ponho a funcionar, para que serve, que sons faz, que faço se o colocar perto ou dentro de outro.”, pois isso contribui para que a criança passe para brincadeiras mais complexas como o “brincar sozinho”, e deixar um pouquinho mais de lado as aprendizagens cognitivas como as letras e números.

 

E agora, deixo igualmente aqui algumas “brincadeiras”…

…que poderá sugerir aos seus pequenos, que lhe darão alguns minutos para estender aquela roupa, ou responder a alguns emails, ou ainda retribuir uma chamada. Permite-lhes brincarem sozinhos mas sempre com o seu olhar atento 😉

Para os bebés!

1) Cestos dos tesouros: ideal para bebés. São cestos onde coloca 15 a 20 objectos de uso diário, para apresentar ao seu bebé diferentes formas, cores, sons e texturas, promovendo a estimulação dos seus sentidos (clique AQUI para saber mais)

2) Quadro sensorial: Outra brincadeira perfeita para desenvolver a atenção e a concentração do bebé; Aqui cola diferentes materiais numa cartolina ou cartão por exemplo, para estimular o tato e a visão do bebé (massas, palhinhas, cordas, paus, esponjas, etc (Exemplo AQUI).

A partir dos 2 anos +/- :

1) Pinturas com aguarelas ou canetas de feltro (idealmente aquelas que se lavam com água, não vá a veia artística chegar ao sofá da sala ou às paredes de casa)

2) Recipientes de água colorida: Aqui a criança explora as cores e vai passando a água de um recipiente para outro. Uma brincadeira engraçada para os maiorzinhos. Pode saber mais clicando AQUI

3) Plasticina: Plasticina ou massa moldável com outros objectos usados como carimbos. A plasticina apesar de ser aquele pesadelo que se agarra a tudo, a partir de uma certa idade já consegue contornar essa situação. Os meus por exemplo sabem que plasticina é exclusivamente sobre a mesa da cozinha. Torna tudo mais fácil de limpar. E se juntar à plasticina botões, um pente das bonecas, massas, peça de lego, etc, o resultado será muito giro e ficarão super entretidos.

4) História + desenho: Primeiro lê a história e depois deixa as crianças darem asos à sua imaginação e pintarem algo que gostaram mais na história.

5) Pintura com plasticina: aqui dá um desenho à criança, e ela com a plasticina irá preencher as diversas partes do desenho.

6) Restaurante: Os meus adoram! Têm diversos ingredientes em plástico ou tecido ou madeira e brincam aos restaurantes onde um é o cozinheiro e o outro o cliente, às vezes a cliente sou eu também com direito a entrega ao domicílio (diga-se ao computador ahah).

7) Pauzinhos de velcro: super fácil de preparar. Pode preparar com eles os pauzinhos (pauzinhos de gelado + pintar com aguarela + colar pedaços de velcro nas pontas); depois é só deixa-los secar e quando estiverem prontos eles poderão montar o que a sua imaginação permitir.

 

E a partir dos 3 ou 4 anos:

1) Cantinho do brincar: forma de propor uma brincadeira que acaba por se tornar mais criativa misturando objectos que geralmente não estão juntos e não têm nada a ver uns com os outros:
A) Bonecos + copo plástico + rolhas + molas da roupa+ caixa;
B) Bonecas (barbies ou frozen etc) + lenços/encharpes coloridos + caixa de cartão + argolas (tipo pulseiras circulares) – daqui poderá surgir por exemplo um desfile de moda, palco de teatro, palco de circo, etc);
C) Misturar bonecos de várias histórias (super heróis, barbies, cinderela, frozen, etc) o que permitirá à criança criar uma história nova;
D) Kit para montar cupcakes (bolas de plasticina + botões + pedrinhas + palhinhas cortadas aos pedacinhos + velinhas+formas de cupcakes de papel, aquelas decorativas ou de ir ao forno)

 

E pronto, espero que tenha gostado desta entrevista, bem como das sugestões de jogos para as crianças brincarem sozinhas!

Pois bem, agora é deixar as suas crianças darem asos à sua imaginação! Para além disso, permita-se observá-los na sua descoberta, nas suas invenções e claroooooo fotografar/ filmar para mais tarde recordar 😉

 

Tentarei trazer mais artigos interessantes para si, por entre artigos com lindas sessões 😉

 

Boa semana!!!!

Suzy
www.suzyvieira.pt

O valor da fotografia, um tipo de “teletransporte”

O valor da fotografia

Olá!!!!

Já passou 1 semana desde que tomei a iniciativa de ficar em isolamento voluntário. Desde aí diversas coisas aconteceram, uma delas foi o estado de emergência declarado pelo nosso governo, sendo que neste momento mais de metade de Portugal está parado.

Bem, parado como quem diz, pois acredito que as vossas casas estejam como a minha, a todo o gás!!!!  Por cá com duas crianças é difícil ser ao contrário!

Bom, para quem tem crianças em idade escolar, em idade de jardim de infância ou creche, para quem não tem crianças e está em teletrabalho, e para muitos outros casos, acredito que parado não será certamente o caso. Alguns estão a dar de si na frente da linha para nos salvar, outros estão a dar de si para nada nos faltar, e outros ainda estão em casa a cumprir o seu dever para todos estarmos protegidos!

Como a maioria de vós, não posso visitar a minha família. E, quem me conhece, sabe que a minha família está a cerca de 2000km de distância, e o quanto isso me dói. Sempre fui uma miúda mimada, e ainda sou, com muito orgulho. Não há colo como o da minha mãe e abraço como o do meu pai. Siiiiiiiiim, mesmo sem caber no colo da minha mãe há muuuuuito tempo (pois ela tem menos 20cm que eu hehe) faço questão de pousar a minha cabeça no colo dela quando estamos juntas. É a única pessoa que mexe no meu cabelo e não reclamo 😀 . O meu pai ainda hoje me chama de fofinha “Então fofinha, como correu o teu dia?”. É isto que quero para os meus filhos: este amor sem idade, este aconchego sem fim.

Então, neste último Natal estivemos lá e, juntamente com a minha irmã, conseguimos uma missão quase impossível: juntar TODOS para uma [super mini] sessão fotográfica! Estava um frio de rachar, as roupas não eram as desejadas, o dia super cinzento, os miúdos sem vontade, o cenário mesmo atrás da casa dos meus pais não era o melhor massss….. conseguimos!

4 gerações! 4 geraçõessssssss numa foto!!!! Avós, filhas, netos e bisneta.

Dizer que eu e a minha irmã ficámos a rebentar de alegria e orgulho é pouco, muito pouco.

Pois bem, não consegui editar logo as fotos, fui editando sempre as fotos dos clientes primeiro. Até há duas semanas atrás. Caramba, já a epidemia nos tinha batido à porta.

Para além disso, os meus pais não são muito de tecnologias, com 75 anos atinam com o tablet para falarmos por Skype e já aí sei que ganhei o jackpot! Logo, não conseguiram ver as fotos ainda.

No entanto, a história não fica por aqui. A geração dos meus pais é a geração do analógico, da foto no papel que por sua vez é guardada numa caixinha ou colada num álbum e vista vezes e vezes sem conta, e mostrada às visitas com imenso orgulho. E assim deveria ser a nossa a meu ver. Pelo que manter as fotos em digital não é opção.

Mais uma vez, eu e a minha irmã juntámos forças e decidimos oferecer uma tela. Tamanho? Sempre fui apologista do grande, quanto maior melhor para apreciarmos bem todos os detalhes. 60x80cm foi o tamanho eleito, e neste momento está incrivelmente e orgulhosamente pendurada na parede, sobre o sofá da sala.

IMAGINAM o valor que essa foto tem para os meus pais? Imaginam o valor que esta foto tem para mim? 

Ainda mais neste momento difícil que estamos a passar e para o qual peço todos os dias que termine o quanto antes, sempre com o coração nas mãos pelos meus.

Desta forma, deixo aqui algumas fotos desta sessão, que me deixam de sorriso na alma cada vez que olhos para elas.

Aproveitem e façam o mesmo com os vossos pequenos. Uma vez por outra, em vez de pegarem num livro com histórias peguem num álbum vosso, com a VOSSA história e contem-na aos vossos amores.

RECORDEM as férias que já fizeram, o vosso casamento, a saída em família, os jantares entre amigos, os momentos especiais que retrataram e imprimiram com todo o carinho. E digam-me, não sentem novamente um pouquinho da emoção que sentiram na altura em que tudo isso aconteceu?

ESSE é o valor da fotografia, para mim. Um tipo de “teletransporte”.

Para quem tem gigabites de fotografias no computador, no disco externo ou numa cloud, AGORA é uma boa altura para fazerem os álbuns. Eu ainda vou fazer um álbum para os meus pais com todas as fotos desta sessão.

Um abraço muito apertado para todos, pois se há coisa que precisamos neste momento é de energia positiva, e amor, muito amor.

Suzy
www.suzyvieira.pt

Obrigada 2018! Sê bem-vindo 2019!!!

Primeiro Post de 2019..

Cucuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!! 

Este é o primeiro post de 2019!!!! Até me custa a acreditar. Mais um ano que passou a voar!!!
Parece mesmo clichê dizer isso, mas é mesmo o que sinto. Trabalhar por conta própria, ter família com marido e dois filhotes que precisam de imensa atenção, formação, encontros com família e amigos, e mais outras coisas que é de perder a conta, faz com que o tempo esteja todo aproveitadinho até ao último segundo. 

Posso dizer que 2018 foi um ano MUITO bom! Consegui alcançar um grande objectivo: ter mais tempo para a minha família. Obriguei-me a ter um horário, fosse como fosse, para estar disponível para os meus. Permitiu-me viver imensos momentos bons, muito bons, ouvir as melhores gargalhadas do mundo, e receber os mais doces abraços. Algo sem preço.

Algo que já é habitual, e que voltei a fazer este ano, foi uma sessão fotográfica de família. Quem me conhece sabe o quão importante é para mim. E porquê? Porque quero ter bem registadinho como todos mudámos, como todos crescemos, seja em altura, largura ou rugas! Quero ter a nossa história a um dedo de alcance dos meus filhos, impressa em álbuns, para eles poderem ver e rever com orgulho, fazerem inúmeras perguntas de como eles eram naquela idade, criar assim mais momentos de partilha e conversa boa. O brilho nos seus olhos a cada página é inexplicável e para mim de extrema importância.

Fizemos a nossa sessão com a querida Brígida Brito Fotografia, que já tinha tido oportunidade de nos fotografar quando o meu Davi tinha 7 meses. Uma Algarvia com um coração gigante, mas com morada no Norte 🙂 deixo-vos algumas das fotos, não deixo todas para não abusar 😛 mas vontade não me faltou!!!

 

Fotos

 

 

Ainda no Verão, tive a alegria de estar com alguns familiares que não moram em Portugal: tios, prima, afilhado e irmã. E em Outubro, estive com a minha querida mãezinha , mesmo que por poucos dias, mas foram os suficientes para me encher o coração. Quem me conhece sabe que tenho a família em França. Quem tem a família longe sabe o que sinto 🙂

Para além disso tive oportunidade de conhecer imensas pessoas talentosas no mundo da fotografia!
. Em Fevereiro fui ao Congresso Baby&Kid em Lisboa, onde revi amigos/colegas de profissão e conheci outros mais, foram dois dias muito enriquecedores!!! (O bilhete deste ano já está comprado!!!)
. Em Março, rumei ao norte e fiz uma formação de Recém-Nascido de um para um, em Caminha com a Miriam Oliveira, da Algodão Doce Fotografia, super querida e super talentosa! Até fiz um post no blog sobre isso, podem ver/rever >>AQUI<<
. Em Outubro recebi no meu estúdio uma fotógrafa de recém-nascidos, a Emma Jane da Little Love Photography.
. Ainda em Outubro peguei na mochila e voei para Londres, onde tive uma formação em Marketing e fotografia de maternidade com a Maggie Robinson e Natasha Ince, respectivamente. Ainda vos estou a dever um lindo post com o resultado da sessão!!!
. Nesta última viagem tive oportunidade de conhecer as instalações de um dos meus fornecedores de eleição em termos de acrílicos e molduras.
Acreditem, sair do nosso país para ver como tudo funciona lá fora é excepcional: outra cultura, outras perspectivas. Só voltamos mais ricos.

E agora perguntam vocês… mas foram só coisinhas boas? 🙂 E eu respondo, não. Como qualquer família “normal” vivi momentos menos bons, momentos de aflição principalmente pelos meus mais pequenos, que este ano me pregaram grandes sustos. Sustos estes que me mostraram que a vida realmente não foi feita para ficar de braços cruzados à espera de momentos bons. Nós é que os criamos e os tornamos reais.

E agora dizem vocês, mas é tão difícil conjugar a vida pessoal com a profissional…. e é, MUITO! Mas não é impossível, dá é “trabalho”! O que ajuda imenso nessa “tarefa” é tornar os momentos em família em momentos excelentes! E para isso não é preciso muito. No meu caso por exemplo, se passar tempo com os meus filhos na cozinha para eles é excepcional visto que adoram cozinhar.

Last but not least, como dizem lá fora 🙂 os meus queridos clientes contribuíram imenso para 2018 ser um ano muito feliz!
. Revi clientes habituais. E como é bom , vê-los crescer seja em quantidade ou em idade 😉 e vê-los felizes!
. Recebi novos clientes, novas famílias, lufadas de amor como costumo dizer, pois este trabalho engloba imenso amor, seja da minha parte (cof cof nada babada eu sei!) seja da parte dos clientes com as suas lindas histórias.

E agora pergunto eu a vocês, ao olharem para o vosso 2018 como o descreveriam?? Fantástico, sensacional, assim assim, para esquecer? Adorava que partilhassem um pouquinho de vocês aí desse lado.

Para finalizar, depois de tooooooodo este texto (obrigada a quem chegou até aqui!!!!), desejo-vos em 2019 saúde, muita saúde, pois com ela tudo é possível, sejam eles sonhos ou objectivos. Tudo o resto vem por acréscimo e está ao nosso alcance.

E claro, boa semanaaaaaaa!!!!!!
Suzy
www.suzyvieira.pt

 

Formação em SBV Pediátrico

Olá!!!!!

Temos estado de férias, não fomos para muito longe confesso, ficámos mesmo por cá! Não referimos nada na nossa página visto que uma vez que a nossa Paulinha iria estar disponível para responder a emails e mensagens, achámos desnecessário.
Desta forma aproveitámos e acampámos uns dias na linda Ilha de Tavira, o Davi queria imenso saber como seria acampar! E depois rumamos a Coimbra ao Portugal dos Pequenitos, e a Fátima, local que prezo muito.

Pois bem, escusado será dizer que os miúdos adoraram acampar, perto da praia então para eles foi perfeito!!! Divertiram-se muito no Portugal dos Pequenitos, o Davi apenas ficou “indignado” com o facto de as casinhas não terem mobília, segundo ele numa próxima visita teremos de levar algumas hehehehe

Então, divagações à parte 😛 , no meio das férias surgiu a oportunidade de realizar uma formação em SBV Pediátrico (Suporte Básico de Vida Pediátrico)!!! Algo que procurava há imenso tempo e que tão difícil tem sido de obter pois os que surgem rapidamente esgotam. E quando digo rapidamente digo em poucas horas. São formações gratuitas que são do interesse de imensos profissionais e dos pais, logo a procura é gigante! Desde Dezembro do ano passado que tenho um reservado para Novembro deste ano 😀 que conto frequentar igualmente!

Assim sendo, quando este surgiu não pensei duas vezes! Realizou-se no dia 25 de Agosto.  Foi organizado pela Gesto Vital, na Associação Humanitária Bombeiros Voluntários São Brás Alportel e tem certificação pelo INEM. Como Mãe e Fotógrafa de famílias que sou, imaginam a minha felicidade????!  Confesso que fiquei de coração cheio!

Éramos um grupo de 6 pessoas, todos muito simpáticos! O nosso formador foi o Jorge Carmo, obrigada por tudo!!!!! Aprendemos como actuar nos primeiros minutos de uma situação de bebé/criança caída no chão (desmaiada ou não, a respirar ou não).

Espero honestamente NUNCA vir a precisar de usar estes conhecimentos que obtive, pois será óptimo sinal. No entanto, se realmente algum dia tiver de ser, espero conseguir ajudar e marcar a diferença, que muitas vezes é logo na assistência dos primeiros minutos.

Desta forma, deixo-vos algumas fotos tiradas durante os exercícios que fizemos no SBV Pediátrico.

Bem, ainda nos restam mais uns dias de descanso, que iremos aproveitar para a nossa sessão fotográfica de família (SIM!!!! Logo escreverei um post no blog sobre isso!!!), para uma prainha e para o 2º Aniversário da nossa Princesa Diana 🙂 que está para muito muito breve!

Boas férias para quem ainda está de férias, e bom trabalho para quem já está de regresso!!!
Suzy
www.suzyvieira.pt

 

Workshop Recém-Nascido // Mentoring 1-2-1

WORKSHOP RECÉM-NASCIDO :: 23 DE MARÇO 2018

Cucuuuuuuuuuuu

Cá estou eu novamente 😀
Pois bem, se há coisa que ADORO e valorizo muito é a formação. Qualquer profissional deve manter-se actualizado sobre a sua área com workshop, formações, bastante pesquisa ou mesmo um ligeiro refresh.

No meu caso, andava há que tempos a querer fazer um Workshop de recém-nascido só para mim! Eu e a fotógrafa (e claro o baby ahah)! Assim teria oportunidade de esclarecer todas as dúvidas e focar a formação nas áreas que sentia maior necessidade.
Então, dia 23 (de Março) foi o dia!!! Arrumei a minha malinha, e de coração cheio (e apertadinho por deixar as minhas duas crias) lá rumei eu a Caminha. Sim!!! Caminha!!! Uns 90km acima do Porto!! Ryanair, carro alugado e (entre chamadas, mensagens e troca de imagens da família “abandonada”) tinha chegado ao destino 😀

Tudo isto para estar com a minha querida Miriam Oliveira da Algodão Doce . Fotografia. Conheci o trabalho dela no ano passado, no 1º Congresso Baby & Kid Portugal (evento em Lisboa dirigido a profissionais de fotografia de família). Tendo colegas amigas em comum, rapidamente fomos apresentadas. Desde aí que tenho seguido o seu trabalho e apercebi-me que dava formação, então pensei que seria a pessoa certa e 2018 o ano ideal!!! Trocámos mensagens, acertámos tudo e voltamos a nos encontrar no 2º Congresso Baby & Kid! Num instantinho os dias passaram e chegou o dia D.

A nossa manhã foi passada com um lindo menino, ele dormiu tannnnntoooooooo que permitiu à Miriam mostrar-me a maioria das posições que costuma fazer. Foi mesmo um doce este bebé.
Seguiu-se o almoço com muita conversa, e mais alguns telefonemas, e depois voltámos ao seu estúdio para mais uma sessão, desta vez com uma princesa. Pouco dormiu é certo, mas permitiu complementar a sessão da manhã. Finalizou-se o dia com edição de fotos e chazinho com bolachas nham! O ideal antes do regresso 🙂

A expectativa foi superada, a “professora” não poderia ter sido melhor <3 Obrigada por tudo Miriam! E claro, já comecei a aplicar os "novos" truques 😀 Deixo-vos aqui algumas imagens tiradas durante o workshop, o bebé foi sempre preparado e posicionado pela Miriam, as fotos e edição por mim. Como maravilhosas fotógrafas e meninas de cabeça no ar, esquecem-nos da fantástica selfie!!!! Imperdoável eu sei, mas pronto 😀 fica a aprendizagem maravilhosa e o excelente convívio que ninguém me tira! Beijinhosssssssss!!! Suzy www.suzyvieira.pt

sessão fotografica recém nascido, workshop

Suzy Vieira Photography
Fotografa faro Workshop


sessão fotografica faro, Workshop

Suzy Vieira Photography
Fotografa Faro


sessão fotografica faro, Workshop

Suzy Vieira Photography
Fotografa Faro


sessão fotografica faro, Workshop

Suzy Vieira Photography
Fotografa Faro


sessão fotografica faro, Workshop

Suzy Vieira Photography
Fotografa Faro Workshop

Fundos Digitais

Fundos Digitais ou “Digital Backdrops”

(E para que servem!? )

Olá! Aqui venho vos falar de um tema que estou a começar a explorar, Digital Backdrops. 🙂 O que são?… São imagens com cenários onde poderemos enquadrar um bebé ou uma criança de outra sessão através de tratamento em photoshop (logo necessita se ter algum conhecimento ao nível do photoshop ou mesmo de outro tipo de programas de manipulação  de imagem). Permite-nos ter uma maior diversidade de cenários numa sessão, de forma rápida, eficaz e totalmente segura. Deixo-vos aqui um site (etsy) que tem alguns “Digital Backdrops” e muito mais. … Beijinhos e até breve!!!

(Brevemente à venda na SV Academy Shop)

Fotos dos Fundos Digitais

 

Imprimir Fotos / Print Photos

Porquê Imprimir Fotos da Sessão fotográfica?

Oláaaaaaa!

Aqui venho eu vos falar de um tema muuuuito importante! IMPRIMIR FOTOS! Sim, aquela “coisa” que tem ficado esquecida muito devido à era digital em que vivemos! 🙂

Digam-me que não adoram ver e rever os vossos álbuns de quando eram crianças e as fotos bem antigas que os vossos pais têm espalhadas por entre as mesas de cabeceira, ou naquele móvel gigante da sala?

Sabem, cada vez que entro na sala da minha mãe fico de sorriso rasgado pois (para além de poder lhe dar um enorme abraço) vejo logo um tronco de árvore que ela arranjou e no qual espalhou diversas fotos minhas, dos meus meninos, da minha irmã e sobrinhos e mais alguns familiares… posso dizer-vos que é uma delícia para o coração <3

As impressões são o que nos permite reviver momentos felizes, sejam eles de infância ou mais recentes, de recordar o quão mal nos vestiam os nossos pais (pois é… esse flagelo que nos arranca gargalhadas) ou aquela viagem que adorámos fazer, de rever e poder recordar para SEMPRE os traços de alguém que partiu e que tanto amamos…
Manter as fotos em computador apenas poucas emoções nos permite no dia-dia.

Por isso mesmo em 2016 alterei os meus pacotes, todos eles passaram a ter no mínimo fotografias impressas. O que fazer com elas? Colocar nas molduras vazias da casa (não tem molduras? pode sempre ir ao IKEA, à Zara Home, à Loja do Gato Preto, encontra lá molduras lindíssimas!!!), decorar a casa com telas em algodão ou imprimir em lindos álbuns digitais (quanto a isso podem falar comigo!!). Podem ainda oferecer aos avós babados ansiosos por poder espalhar fotos dos filhos & netos pela casa e mostrar ao vizinho do lado com o coração a transbordar de orgulho 🙂

Não quero entrar em guerra com a era digital, pois ela muito nos traz, mas como em tudo há retirar o que tem de bom e afastar o que tem de menos bom, como a redução do convívio entre as pessoas que é assustadora. Imprimir fotos é de uma importância extrema, não se descuide, permita-se a sorrir mais e mais 🙂

Por isso, no final do ano, junte todas as suas fotos, sejam elas tiradas por si ou por um profissional numa sessão fotográfica, IMPRIMA!!!

Um beijinho e até breve!!!
Suzy
website facebook instagram youtube

Um pouco sobre as sessões de recém-nascido

Cucuuuuuuuuu

Hoje venho vos deixar um pequeno resumo de uma sessão de recém-nascido comigo 🙂 com uma família super simpática e, como não poderia deixar de ser, super babada pelo seu mais que tudo <3 A chegada de uma criança na família é um momento deveras especial, que merece ser registado de forma única.
As sessões de recém-nascido são realizadas entre os 06 e os 12 dias de vida do bebé, pois é quando estão ainda muito sonolentos e flexíveis para fazer todas aquelas posições mais ternurentas que costumam ver no meu website e na minha página do facebook.

Uma vez que este tempo é limitado aconselhamos a pré-agendar a sessão de recém-nascido ainda na gravidez, indicando-nos a data prevista para o parto. Quando o bebé nascer deverá avisar-nos nos primeiros 3 dias de vida de forma a garantirmos disponibilidade até aos 12 dias de vida.

Esta sessão é realizada no nosso estúdio, onde encontra todas as comodidades para a nova família. O ambiente estará aquecido a uma temperatura de 28ºC, onde teremos disponível um água, fraldário, líquido desinfectante de mãos, e uma panóplia de acessórios para meninos e meninas de forma a complementar a sessão: desde cestas, colchas, tecidos, gorros, fitas, tutus, entre outros e roupas para a recém-mamã.

Não perca a oportunidade de registar de forma única estes primeiros dias do seu bebé. Relembre para sempre as suas pequenas bochechas, como ele já coube nas vossas mãos, a perfeição dos seus dedos minúsculos, das suas pestanas, cabelos, do seu ar doce enquanto dorme.

Delicie-se!

Fotografado por:  Suzy Vieira Photography
Filmado e editado de por My Next Creation Lda

Suzy Vieira – Finalmente..!

Suzy Vieira a Fotografa

Cucuuuuuu 🙂

Há tanto tempo que estou para iniciar este cantinho!!! Mas os minutinhos livres são escassos (felizmente!!), por entre o trabalho e a família pouco ou nada sobra.

No entanto, cá estou eu, determinada a vos deixar algumas informações tanto quanto possível 🙂

O que poderei dizer sobre mim?

Sou uma filha mimada pelos meus pais… não me imagino sem eles…
Sou uma irmã presente..
Sou uma esposa apaixonada..
Sou uma amiga de coração cheio
Sou uma mãe galinha, babada e louca pelos meus filhos <3
Sou uma fotógrafa que adora o que faz, que aprende todos os dias com os melhores clientes do mundo (cliché eu sei!!!) e curiosa por aprender sempre mais e mais.

Aqui encontram parte do que me faz sorrir. Uma área que me completa e me permite ser seu em cada clique.

Espero que gostem… e me visitem muito!!! Tanto no site como no blog poderão ver uma amostra do meu trabalho, algo que faço todos os dias com um enorme sorriso no rosto! Pois Fotografar é uma das minhas paixões. Sempre ouvi dizer  – “Faça o que gosta e não trabalhará.”(autoria de Confúcio)

Também podem ir até às redes Sociais em que me encontro presente (Facebook, Youtube, Instagram) para poderem seguir mais de perto o meu trabalho. Mas se quiserem ser os primeiros a saber de todas as minhas novidades mesmo antes de eu colocar na internet subscrevam a minha newsletter (pode Subscrever no Botão na barra inicial).

Um beijinho e até breve <3

Suzy Vieira